21/05/2020

Cora Belarmino A História

Quem é Cora Belarmino?

Cora Belarmino era uma mulher que nasceu em 1957 
e morreu em 1990. Uma mulher à frente do seu tempo, 
fazia seus croquis, modelava, 
pintava e bordava no tecido, costurava, 
tinha dominio também sobre crochê e tricôt.
Era muito organizada e tinha total clareza no que se queria, 
tinha sempre a sua razão e 
amava sua coleção de revistas de moda.
Era uma pessoa muito boa e
 gostava muito de ajudar o próximo. 

 

Porque ser Cora Belarmino?

Cora Belarmino era irmã de Manoel Belarmino,
o homenageado da marca. Manoel, é o vovô Manel 
da Bruna Belarmino Estilista e Ceo da marca Cora Belarmino.
Bruna, cresceu vendo o seu avô amar e admirar sua mãe e 
sua irmã Cora que sempre trabalharam com moda e
 inspiraram desde cedo intuitivamente Bruna a seguir 
os passos e a tradição da família.
Manoel Belarmino, em 2020 completará seus 81 anos.

 

Quem são as mulheres por trás da Cora Belarmino?

Quando criança Bruna Belarmino dançava pela casa,
derrubando tudo que estava pela frente, bastava 
levantar suas pernas e dar os seus giros, sem condições,
precisou adiar a sua entrada ao ballet, que só ocorreu
anos mais tarde. Muitos falaram da sua idade e
insistiram para que desisti-se, aos 13 anos viu-se feliz
por entrar no ballet, porém sua alegria só foi se 
completar anos mais tarde ao escolher sua profissão,
optou por moda para criar coleções que pudessem
dançar por ela em lugares que nunca achou poder 
chegar. 

Em 2014, nasce a Cora Belarmino com sua primeira
coleção de camisetas estampadas e exclusivas, no ano 
seguinte lançou a Coleção Dori mais completa com
collants, calças, vestidos, saias e blusas, o lançamento 
aconteceu em Israel.

 

A idéia da Bruna Belarmino, sempre foi vestir bailarinas 
e mulheres sonhadoras, além de patrocinar dança e arte
as crianças e adolescentes assim como ela, não tiveram
essa oportunidade e gostamos tanto do resultado desse
projeto que chegamos aos médicos sem fronteiras.
Erineide Belarmino, Graduada em contabilidade é sócia da 
Bruna, além de sua mãe. Assumiu para si o sonho,
principalmente pela oportunidade de poder ajudar e
transformar pessoas.